Arquivo de Maio, 2012

Culturascópio

É um blogue de autoria da Dora Santos Silva sobre tendências das indústrias culturais e criativas, focalizado no jornalismo cultural, nas eras criativa e digital, bem como em criações e criadores que merecem ser destacados.

http://culturascopio.com/

Anúncios

estágios no estrangeiro

Estágio numa organização cultural estrangeira? Consulta esta lista de oportunidades: PRAXIS_MAY_2012

As políticas culturais nas sete principais cidades galegas

O Observatório da Cultura Galega acaba de publicar um estudo sobre as políticas culturais nas sete principais cidades da Galiza,este estudo dirigido pelo sociólogo Xan Bouzada pretende contribuir para a análise qualitativa e quantitativa das politicas culturais ao nível municipal.

 Baixar aqui o PDF

o impacto da crise financeira no sector cultural europeu

 

Disponibilizamos e recomendamos a leitura do artigo de Lluís Bonet (U. Barcelona) e Fabio Donato (U. Ferrara) intitulado ‘The Financial Crisis and its Impact on the Current Models of Governance and Management of the Cultural Sector in Europe’, publicado no primeiro número do ‘ENCATC Journal of Cultural Management and Policy’ e que servirá de mote para a iniciativa ‘Policy Debate: Responding to the crisis with culture: towards new models of governance for the cultural sector’ (6 Julho, CIVA, Centre International pour la Ville, l’Architecture et le Paysage). Mais info em www.encatc.org

fórum jovens investigadores em política cultural

A Fundação Cultural Europeia e a rede ENCATC abriram call para candidaturas ao 6º ‘Fórum Jovens Investigadores em Política Cultural’ que terá lugar entre 11 e 12 de Setembro na Goldsmiths, University of London. Para mais informações visite o site: http://www.encatc.org/pages/index.php?id=83

Consulte o flyer: YCPRF_Flyer_2012

 

 

 

 

 

 

culture minds | sexta 25 maio (nova data) | políticas culturais

A terceira entrevista ‘Culture Minds’ irá dedicar-se às políticas culturais em Portugal. Jorge Barreto Xavier e Miguel Honrado, entrevistados por Luís Cláudio Ribeiro, irão discutir a importância do papel do Estado na oferta cultural, o impacto dos fundos de financiamento europeu nas políticas culturais nacionais e as medidas para a internacionalização da cultura.

Jorge Barreto Xavier foi Director Geral das Artes, vereador da cultura na Câmara Municipal de Oeiras e está neste momento a preparar a sua tese de doutoramento em Ciência Política.
Miguel Honrado é presidente da EGEAC, a empresa municipal que gere os equipamentos culturais da Câmara Municipal de Lisboa, trabalhando nos domínios da produção e gestão cultural desde 1989.
Luís Cláudio Ribeiro é doutorado em Comunicação e Cultura e é o investigador principal no projecto Lisbon SoundMap – Mapa sonoro da cidade de Lisboa. Tem publicado ensaios, bem como romance e poesia.

[sexta, 25 maio, Estúdio F, 11h]

Estão abertas a partir do dia 3 de maio de 2012, as candidaturas para a atribuição de apoios à internacionalização das artes.

(fonte: newsletter DGARTES)

APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DAS ARTES

Estão abertas a partir de hoje, dia 3 de maio de 2012, as candidaturas para a atribuição de apoios à internacionalização das artes. Esta nova linha de apoio promovida pela Direção-Geral das Artes insere-se no quadro de uma estratégia de incentivo à inovação e ao empreendedorismo do setor cultural. A DGArtes recebe candidaturas em todas as áreas artísticas – arquitetura, artes digitais, artes plásticas, cruzamentos disciplinares, dança, design, fotografia, música e teatro – até 31 de maio de 2012. São elegíveis para apoio as atividades cuja execução ocorra entre 15 de agosto de 2012 e 31 de março de 2013, em qualquer ponto do planeta. Contudo, projetos a decorrer em África, na América Latina, na Ásia e na Oceânia terão prioridade na classificação, já que se pretende promover a mobilidade de forma alargada para lá do espaço europeu.

Visando promover uma maior internacionalização da economia nacional, o Apoio à Internacionalização das Artes é atribuído mediante apresentação de candidaturas que serão selecionadas por via de concurso público, regulado pela Portaria n.º 58/2012 de 13 de março e destina-se a apoiar criadores, artistas e coletivos profissionais sediados em Portugal continental, nas diversas áreas artísticas tuteladas pela DGArtes. Os apoios a conceder visam o domínio artístico relativo à circulação internacional de artistas e produções artísticas, pelo que as candidaturas a apresentar deverão propor a realização e apresentação pública de projetos artísticos que se inscrevam nas áreas artísticas previstas, fora do território nacional.

Podem candidatar-se todas as entidades de criação, de programação e mistas, bem como grupos informais e pessoas singulares, de nacionalidade portuguesa ou não, desde que tenham residência fiscal em Portugal continental e que aqui exerçam maioritariamente a sua atividade. Entidades que já beneficiam de apoio financeiro da DGArtes para os seus programas de atividades podem igualmente apresentar candidaturas a este apoio, respeitado o princípio da não cumulação. Cada projeto deverá figurar numa única candidatura, mas as entidades podem apresentar várias candidaturas, se assim o desejarem.

Podem ser apoiados, neste primeiro concurso, até 100 candidaturas, sendo o montante global disponível 600.000 euros. As candidaturas serão apreciadas e classificadas por uma comissão, constituída por uma representante da DGArtes, que preside, Catarina Graça Oliveira, uma representante da AICEP, Maria João Bobone, e uma artista, a cantora Lura. Em cada candidatura, além da exposição do projeto a desenvolver, do plano de comunicação e da comprovação de interesse por parte da entidade de acolhimento, deverão ser inscritas as despesas e receitas inerentes ao projeto, referindo qual o montante solicitado à DGArtes. Esse montante não pode ser superior ao total de despesas elegíveis: as deslocações (viagens de equipas artísticas e técnicas, transporte e seguro de material expositivo, cénico ou outro), alojamento e despesas inerentes à difusão do projeto no seu contexto de acolhimento (traduções e edição de materiais). A título de exemplo, serão despesas não elegíveis os cachets, taxas de inscrição, remunerações e per diem.

As candidaturas serão apreciadas em função dos seguintes critérios: qualidade e relevância artística do projeto e da(s) entidade(s) parceira(s); consistência do projeto de gestão e de comunicação; adequação do projeto aos objetivos e às prioridades estratégicas. Estas últimas avaliarão o contributo do projeto para a projeção internacional da cultura e das artes contemporâneas portuguesas, em particular para o reconhecimento alargado do trabalho do proponente; a realização de atividades que privilegiem a captação e envolvimento de públicos; e o desenvolvimento e apresentação de projetos em África, na América Latina, na Ásia e na Oceânia.

No sítio da Internet da DGArtes, http://www.dgartes.pt, estão disponíveis: o formulário de candidatura; a regulamentação aplicável; a listagem de critérios e subcritérios a aplicar; as Perguntas Frequentes. Mais esclarecimentos podem ser solicitados através do correio eletrónico internacional@dgartes.pt ou do número de telefone 211507112 até ao dia 25 de maio.


Mais informações:
http://www.dgartes.pt/contents.php?month=5&year=2012&sectionID=159&sectionParentID=27&lang=pt